Você está aqui: Entrada / ÁREAS PROTEGIDAS / Âmbito Privado / Área Protegida Privada Faia Brava

Área Protegida Privada Faia Brava

Diploma de criação. Área. Enquadramento. Caracterização. Atividades.
Logo Área Protegida Privada Faia Brava APP Faia Brava - vista geral - ATN
Logótipo e vista geral da Reserva da Faia Brava (® Associação Transumância e Natureza).

 

 

Enquadramento

Abutre do Egito - EM
Abutre do Egito - Erik Menkveld
A criação da Reserva da Faia Brava, em junho de 2000, teve como objetivo inicial a conservação do britango [PDF 104 KB] Neophron percnopterus [PDF 157 KB] (ver foto, autor: Erik Menkveld) e da águia de Bonelli [PDF 338 KB] Aquila fasciata [PDF 161 KB] no vale do Coa.

Nesse âmbito, e com apoios internacionais, a Associação Transumância e Natureza (ATN) procedeu à aquisição de um conjunto de propriedades importantes para essas espécies de aves, que, com o tempo, se foram interligando e formam presentemente uma área contínua com 526 ha, nas freguesias de Algodres e Vale de Afonsinho (concelho de Figueira de Castelo Rodrigo) e freguesia de Cidadelhe (concelho de Pinhel). A Faia Brava é gerida, exclusivamente, para efeitos de conservação da natureza e da biodiversidade.

APP Faia Brava - vista geral (2) - ATN Rio - Faia Brava -  AssocTrans Nat
Aspetos da Reserva da Faia Brava (® Associação Transumância e Natureza).

Em 2010, parte da área foi classificada como a primeira Área Protegida Privada (APP) de Portugal, sendo elaborado um Plano de Gestão que orienta as atuações operacionais da ATN nas propriedades geridas pela associação na ZPE do Vale do Coa. Os objetivos do presente Plano de Gestão da APP FB são:

1 – parar a regressão e aumentar em 30% a área coberta com bosques autóctones, aumentando a sua complexidade estrutural e incrementando a diversidade de vertebrados (de elevado estatuto de conservação) em 10%;

2 – manter o efetivo nidificante de várias espécies rupícolas (britango Neophron percnopterus, águia de Bonelli Aquila fasciata, Andorinhão-real Apus melba e chasco-preto [PDF 45 KB] Oenanthe leucura [PDF 146 KB]) e aumentar o sucesso reprodutor em 20% de Neophron percnopterus e Aquila fasciata;

3 – manter os biótopos/ecotónos agrícolas situados nas encostas do vale do Côa, aumentando a diversidade de vertebrados ameaçados em 10%;

4 – aumentar o número de sócios da ATN (1000 sócios, dos quais 20% residentes nos concelhos locais) e aumentar o n.º de apoiantes/visitantes à APP FB (média de 1000 visitantes/ano a partir de 2011); e

5 – colmatar lacunas de conhecimento sobre a dinâmica populacional e atuação dos fatores de ameaça.

 

Caracterização

Faia Brava placa - AssocTrans Nat Garranos na Faia Brava - AssocTrans Nat
Reserva da Faia Brava, com placa identificativa, e garranos (® Associação Transumância e Natureza).

A Área Protegida Privada da Faia Brava insere-se no vale do rio Coa, num troço de cerca de 5 Km de extensão, com orientação sul-norte, e encostas de grande declive, onde afloram rochas graníticas escarpadas. O clima apresenta um aspeto continental seco, com grandes amplitudes térmicas e fraca pluviosidade média.

O coberto vegetal é dominado por matos de giesta-branca Cytisus multiflorus, por vezes arborescentes, com presença de sobreiro Quercus suber e azinheira Quercus rotundifolia. As encostas mais termófilas (i.e. mais quentes) estão cobertas de piorno Retama sphaerocarpa, zambujeiro Olea europea var. silvestris e cornalheira Pistacia terebinthus. Nas margens rochosas e arenosas do rio Coa desenvolvem-se maciços de tamujo Securinega tinctoria. A fauna do Vale do Coa é diversificada, estando assinalado um total de 149 espécies de vertebrados, nomeadamente 6 peixes (1 espécie ameaçada), 9 anfíbios, 9 répteis, 100 aves (11 espécies ameaçadas) e 25 mamíferos (3 espécies ameaçadas). O sub-grupo faunístico que reúne maior número de espécies com elevado estatuto de ameaça corresponde ao das aves rupícolas. O uso do solo é sobretudo agrícola e assenta na olivicultura e produção de cortiça.

Esta Área Protegida abrange uma área de 214 ha e situa-se dentro da Zona de Proteção Especial do Vale do Coa [PDF 148 KB] (PTZPE0039; Decreto-Lei n.º 384-B/99, de 23 de setembro; Decreto-Lei n.º 49/2005, de 24 de fevereiro; 20.628 ha), coincidente com a Área Importante para Aves - IBA Vale do Coa (PT006, Birdlife International; 23.727 ha), e dentro do Parque Arqueológico do Vale do Coa (Decreto-Lei n.º 117/97, de 14 de maio).

 

Atividades

Trilho da Barca - AssocTrans Nat Birdwatching - AssocTrans Nat
Um aspeto do trilho da Barca e birdwatching na Reserva (® Associação Transumância e Natureza).

Visitar a Faia Brava é sobretudo desfrutar de um espaço onde a natureza é o valor mais importante. Na Faia Brava existem percursos pedestres marcados que podem ser percorridos de forma independente pelo visitante, a pé, a cavalo ou de bicicleta, passando pelos pontos mais marcantes desta área (o vale escarpado do rio Coa, o sobreiral e os pombais tradicionais). A observação de aves (birdwatching) é uma das atividades com maior expressão na Faia Brava, sendo até possível presenciar de perto a alimentação de abutres e de outras aves, a partir de um abrigo situado dentro do campo de alimentação de aves necrófagas (i.e. que se alimentam de carne morta).

Grifos na Faia Brava - Fernando Romão Aguia de Bonelli - José Jambas
Grifos no campo de alimentação de aves necrófagas (® Fernando Romão) e águias de Bonelli (® José Jambas).

Todas estas atividades e outras podem ser solicitadas à ATN e incluídas numa visita guiada por um(a) Guia de Natureza da ATN ou através da inscrição em programas de operadores privados de animação turística, parceiros da Associação. Durante todo o ano, centenas de voluntários(as) participam em atividades práticas de conservação, que incluem a plantação de árvores, a vigilância contra fogos, as ações de seguimento de fauna e monitorização de flora e o acompanhamento das manadas de grandes herbívoros semissilvestres.

O lucro das visitas reverte a favor da conservação deste espaço único.
 

Mais informações

Associação Transumância e Natureza (ATN).

Fotos gentilmente cedidas pela Associação Transumância e Natureza.
 
Acções do Documento