Fauna

Fauna
Fauna do Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros.

Morcegos OM
Morcegos em gruta no Alviela (® Olimpio Martins).
 

A sobreposição e existência de um grande número de biótopos conferem à área do Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros uma riqueza faunística (i.e. de animais) assente, essencialmente, na existência de uma diversidade assinalável de espécies, nomeadamente no que se refere aos vertebrados. Assim, encontra-se já inventariado um total de 204 espécies, das quais 136 são aves, 38 mamíferos, 17 répteis e 13 anfíbios.

Podem-se referir, por exemplo, o gato-bravo Felis silvestris, a gineta Genetta genetta, a raposa Vulpes vulpes, a doninha Mustela nivalis, o texugo Meles meles, a cobra-de-pernas-tridáctila Chalcides striatus, a víbora-cornuda Vipera latastei, as cobras-de-água, várias espécies de salamandras e tritões (Triturus spp.).

Felis silvestris Gato-bravo  Vipera latastei víbora-cornuda LRC
Gato-bravo Felis silvestris | Víbora-cornuda Vipera latastei (® Luís Roma Castro).
 

As aves são o grupo com maior número de representantes neste Parque, sendo conhecidas mais de 100 espécies que aqui nidificam. Algumas são mesmo importantes no contexto nacional, como o bufo-real Bubo bubo ou a gralha-de-bico-vermelho Pyrrhocorax pyrrhocorax.

Bubo bubo Bufo-real EG Pyrrhocorax pyrrhocorax Gralha-de-bico-vermelho CGV
Bufo-real Bubo bubo (® Eduardo Gameiro) | Gralha-de-bico-vermelho Pyrrhocorax pyrrhocorax (® Cristina Girão Vieira).
 

O meio subterrâneo tem, neste Parque Natural, grande significado. Nas suas numerosas grutas abrigam-se uma infinidade de seres vivos, de que se destacam cerca de dez espécies de morcegos cavernícolas, daí que um morcego estilizado figure no logótipo do Parque.