Você está aqui: Entrada / ÁREAS PROTEGIDAS / Paisagens Protegidas / Paisagem Protegida Regional da Serra da Gardunha

Paisagem Protegida Regional da Serra da Gardunha

Paisagem Protegida Regional da Serra da Gardunha
Paisagem Protegida Regional da Serra da Gardunha. Diploma de criação. Área. Caracterização.

 

    pprsg-paisagem01.jpg   pprsg-paisagem02.jpg
                             Aspetos da Paisagem Protegida Regional da Serra da Gardunha

  • Criação: Aviso n.º 6151/2014, D.R. 2.ª série - N.º 95 - 16 de maio, Declaração de retificação n.º 1050/2014, publicada no D.R. 2.ª série, n.º 199, de 15 de outubro e Declaração de retificação n.º 1288/2014, D.R. 2.ª série - N.º 241 de 15 de dezembro.
  • Área: 10 547 ha.
     

Caracterização

A Paisagem Protegida Regional da Serra da Gardunha abrange uma área de 10.547 ha e compreende a zona Sul do concelho do Fundão, a zona Norte do concelho de Castelo Branco, a zona Oeste da Quinta de Monte Leal e a zona Este do Castelejo. Na sua envolvência existe um conjunto de áreas protegidas, nomeadamente a Paisagem Protegida da Serra do Açor, o Parque Natural da Serra da Estrela, a Reserva Natural da Serra da Malcata, o Monumento Natural das Portas de Ródão e o Parque Natural do Tejo Internacional.

A Serra da Gardunha, apesar da sua pequena área geográfica, apresenta uma diversidade biológica elevada, reunindo elementos característicos do norte, centro e sul do país que conferem particularidades únicas a este maciço montanhoso da Beira Interior.

Na Gardunha, também conhecida por Guardunha (palavra árabe que significa “refúgio”), o granito e o xisto marcam presença, sendo a água outra constante.

A diversidade paisagística e biológica, que esta serra conserva, está intimamente ligada à geomorfologia e litologia, que condicionaram a ocorrência das espécies (endemismos) e o uso do solo por parte do homem, estabelecendo uma perfeita harmonia.

   pprsg-a-penha.jpg  pprsg-curral.jpg
                               A Penha                                                    Curral, Castelo Velho

A paisagem da serra revela uma forte componente de intervenção humana ao nível das áreas agrícolas, com especial destaque para os cerejais e áreas florestais de resinosas. No entanto, mantêm-se áreas ocupadas por formações naturais e seminaturais detentoras de uma significativa e valiosa diversidade biológica.

  pprsg-quinta-serrana.jpg  pprsg-ribeira-tormentoso.jpg
    Castinçal (Castanea sativa), Quinta da Serrana                                      Ribeira do Tormentoso

No que respeita à flora, a vertente Norte caracteriza-se pela presença de habitats bem conservados de castinçais (Castanea sativa) e carvalhais de Carvalho-roble ou alvarinho (Quercus robur) e Carvalho-negral ou Carvalho-pardo-das-beiras (Quercus pyrenaica), aos quais surge associada a Abrótea (Asphodelus bento-rainhae), endemismo lusitano exclusivo deste sistema montanhoso. Na vertente Sul, ocorre uma grande variedade de matos, entre os quais urzais e urzais-estevais mediterrânicos não litorais e comunidades de montanha de Caldoneira (Echinospartum ibericum), um endemismo ibérico. 

pprsg-caldoneira.jpg   pprsg-abrotea.jpg   pprsg-halimium-umbellatum.jpg
     Caldoneira (Echinospartum ibericum)                       Abrótea (Asphodelus bento-rainhae)                    Halimium umbellatum

Quanto à fauna, verifica -se a ocorrência das seguintes espécies, incluídas no Anexo II da Diretiva Habitats: Lutra lutra (Lontra), Lacerta schreiberi (Lagarto-de-água), Chioglossa lusitanica (Salamandra-lusitânica), Rutilus alburnoides (Bordalo) e Euphydryas aurinia (Aurinia, lepidóptero). Verifica-se, também, a presença de diversas espécies incluídas no Anexo I da Diretiva 79/409/CEE (Diretiva Aves), como Circus pygargus (Tartaranhão-caçador) e Hieraaetus pennatus (Águia-calçada), entre outras.

De referir, ainda, a Fuinha (Martes foina), popularmente conhecida por “gardunha”.

pprsg-aurinia.jpg pprsg-salamandra.jpg pprsg-aguia-calcada.jpg

A Paisagem Protegida integra o Sítio Serra da Gardunha (PTCON0028) com 5.935,39 que faz parte da lista nacional de Sítios de Importância Comunitária da Rede Natura 2000, onde ocorrem algumas comunidades vegetais do Anexo I da Diretiva Habitats (habitats naturais), destacando-se as florestas aluviais residuais (Alnion glutinoso-incanae).

pprsg-arrebentao.jpg

A Serra da Gardunha com uma latitude máxima de 1227m no v.g. Gardunha, geologicamente está incluída na Zona Centro Ibérica estruturada na orogenia varisca, associadas ao soerguimento da cordilheira central (Ribeiro el al, 1990; Cabral, 1995). Apresenta uma orientação aproximadamente E-W e insere-se num batólito tardi-varisco que se estende desde Castelo Branco até Idanha-a-Nova (Teixeira et al, 2009).

É constituída essencialmente por granitos porfiróides e biotíticos, rodeados por corneanas e por unidades metassedimentares do complexo xistograuvaquico, também denominado grupo ou Complexo das Beiras.

Do ponto de vista geomorfológico, a área de maior interesse, na Serra da Gardunha, situa-se próximo de Castelo Velho a uma cota entre 1006 e 1029, onde se podem observar 5 afloramentos graníticos com destaque para o bloco de “Fracturação Poligonal”, o “Bloco Fendido”, os “Blocos Residuais” e alguns “Tor”, considerados de “elevado valor geológico à escala mundial” (ProGEO - Associação Europeia para a Conservação do Património Geológico).

pprsg-cabeca-soldado.jpg pprsg-napoleao.jpg pprsg-bola-fraturacao-poligonal.jpg  
   Cabeça do Soldado                                      Napoleão                                                       Bola  com “Fracturação Poligonal”

Toda esta diversidade constitui um património natural riquíssimo ao qual está associado um valor inestimável representativo de uma herança e identidade que importa gerir e preservar meticulosamente de modo a poder transmiti-la às gerações futuras.

A história da ocupação da Serra da Gardunha, território de destinos e de milenares passagens, conta-se através de 26 achados arqueológicos e do seu património arquitetónico que inclui inúmeros imóveis classificados ou em vias de classificação.

A Gardunha, enquanto unidade de paisagem, assume um papel de reforçada importância na estratégia global de desenvolvimento do Fundão e de Castelo Branco na medida em que constitui um elemento unificador destes concelhos.

A componente humana foi determinante na transformação deste território, conferindo-lhe unicidade e, por toda a Serra, nas aldeias e lugares, encontramos manifestações populares específicas, sucedendo-se, ao longo do ano, as festas e romarias, marcadas pelas tradições populares, fazendo perdurar no tempo as suas memórias e vivências. Estes são momentos nos quais o povo fala abertamente de si e onde se promovem os produtos locais e regionais.

  pprsg-cerejas.jpg  pprsg-castelo-novo.jpg
                                 Cerejas                                                                                          Castelo Novo

Adaptado do Regulamento da PPRSG, Aviso n.º 6151/2014

Fotos gentilmente cedidas pela Paisagem Protegida Regional da Serra da Gardunha e pelo Município do Fundão (exceto com fonte assinalada).

Acções do Documento