História | Cultura

História | Cultura
Paisagem e património histórico-cultural da Paisagem Protegida da Serra do Açor.
 Parede de xisto Cristina Girão Vieira
Parede de xisto (® Cristina Girão Vieira)

No fundo dos vales, o espaço agrícola retalhado, ora verdejante, ora acastanhado, reflete o ritmo das culturas ao longo do ano; subindo as encostas, surgem as bouças e matos que asseguram a lenha, bem como o pasto e o material para a cama do gado; nas zonas mais altas encontram-se as grandes extensões destinadas ao pastoreio extensivo.

Os núcleos populacionais surgem associados às áreas mais aplanadas, com boa exposição solar e próximo das linhas de água.

Para além disso, as construções erguem-se sobre os afloramentos rochosos, libertando os solos mais férteis para a atividade agrícola.

O enriquecimento da paisagem com formas construtivas estendeu-se através dos muros, levadas, calçadas, pontões, espigueiros, fojos, moinhos, abrigos de pastor ou alminhas...

Hoje, somam-se à paisagem milenar grandes planos de água das albufeiras ou elementos lineares como novas estradas. Uma vez mais, a paisagem constrói-se, não só através da ocorrência de fenómenos naturais, mas também da forma como as pessoas a transformam e continuarão a transformar. 

Casa Grande Paredes e telhado de xisto
Casa Grande na Mata da Margaraça e paredes e telhado de xisto

Na serra do Açor, nomeadamente no concelho de Arganil, destacam-se alguns monumentos pela sua importância, não só no contexto local e regional mas também nacional:

- Capela de S. Pedro (séc. XIII);;
- Mosteiro de Folques; e
- Convento de Vila Cova de Alva.

Assim, pode apreciar...

Na Paisagem Protegida da Serra de Açor: 

- Centro de Interpretação na  Casa Grande na Mata da Margaraça; e
- Pardieiros (única aldeia inserida na Área Protegida).

No concelho de Arganil:

- Arganil e a sua capela de S. Pedro - o mais antigo monumento do concelho, datando do séc. XIII;
- Folques e o seu mosteiro;
- Coja;
- Convento de Vila Cova de Alva;
- aldeia histórica de Piódão; e
- aldeia de xisto de Benfeita.

No concelho de Pampilhosa da Serra:

- Pampilhosa da Serra;
- aldeia de xisto de Fajão; e
- aldeia de xisto de Janeiro de Baixo.

 

Casa da Eira PPSA-Moinho Ribeira da Mata da Margaraça
Casa da Eira e moinho junto à ribeira da Mata da Margaraça (® Sílvia Neves).
 
A serra do Açor é rica em património construído do qual se destaca a construção em xisto.
Na Área Protegida, a Casa Grande, que acolhe visitantes na Mata da Margaraça, é um exemplo da reconstrução em xisto respeitando a traça do edifício originalmente existente. 
Ainda na Mata da Margaraça de referir a Casa da Eira que pretende retratar o quotidiano das gentes e aldeias serranas. 
Na serra e em algumas aldeias existem vários núcleos que representam bem o património construído. Nos últimos anos, assistiu-se, inclusivamente à reconstrução de casas de xisto para segunda habitação ou para atividades ligadas ao turismo.
 
De destacar também as aldeias de Benfeita, da rede de Aldeias do Xisto, e Piódão,da rede de Aldeias históricas de Portugal.
 
Piodão Cristina Girão Vieira
Piodão (® Cristina Girão Vieira).

PPSA-Artesao Socalcos PPSA_ovelhas
Artesão de gamelas (® Sílvia Neves). Socalcos e ovelhas.

Na Paisagem Protegida da Serra do Açor também se pode conhecer a cultura e modo de vida das populações serranas. Das atividades humanas que persistem, destaca-se a agricultura de subsistência, a apicultura e o artesanato. Deste, outrora rico, variado e dependente da floresta, onde se incluíam a manufatura de tamancos em madeira de azereiro, gamelas e cestas em castanho, mobiliário e alfaias agrícolas, subsistem apenas alguns que caracterizam e marcam o concelho de Arganil e a serra, nomeadamente o fabrico de:

- miniaturas de casas em xisto;
- colheres de pau de pinho; e
- alguma cestaria.

Topo

Acções do Documento