Habitats

Habitats
Habitats da Reserva Natural das Berlengas.

RNB - farol e vegetação
O farol e a vegetação da Berlenga.

As características geográficas e climáticas únicas das ilhas do Arquipélago das Berlengas conduziram à especiação de dois endemismos florísticos (Armeria berlengensis e Herniaria berlengiana) e à ocorrência de uma comunidade vegetal peculiar.

Dos habitats presentes merecem especial distinção os recifes de origem rochosa, bem como as grutas marinhas submersas ou semissubmersas, onde vivem comunidades bentónicas vegetais e animais, e onde ocorrem comunidades não bentónicas associadas, em apreciável estado de conservação.

As falésias costeiras expostas aos fortes ventos marítimos assumem particular importância, possibilitando a existência de vegetação de fendas mais ou menos terrosas, própria de rochedos graníticos litorais (falésias com vegetação das costas atlânticas e bálticas), bem como a existência de vegetação anual primaveril (vegetação pioneira de Salicornia e outras espécies anuais das zonas lodosas e arenosas) de arribas graníticas nitrofilizadas em consequência da utilização e nidificação de avifauna e de matos halonitrófilos (matos halonitrófilos Pegano-Salsoletea), compostos por caméfitos1 e nanofanerófitos2 frequentemente suculentos. 

Nota explicativa
1Caméfito - planta perene cujas gemas de renovo se situam a menos de 25 cm da superfície do solo.
2Nanofanerófito - pequenos arbustos com comprimento não superior aos 2 metros (raramente ultrapassando o 1,5 m) e cujas gemas de renovo se encontram entre os 20 - 25 cm de altura.