Fauna

Fauna
Fauna da Reserva Natural das Dunas de São Jacinto.

Aves em voo sobre o litoral  - Cristina Girão Vieira 710-150 pxl
Aves em voo sobre o litoral da Reserva Natural das Dunas de S. Jacinto (® Cristina Girão Vieira).
 

A Reserva Natural está inserida na Zona de Proteção Especial da Ria de Aveiro. A avifauna é, realmente, a sua componente faunística de maior realce.

Larus ridibundus Guincho plumagem inverno Cristina Girão Vieira Morus bassanus Ganso-patola adulto voo Cristina Girão Vieira
Guincho Larus ridibundus em plumagem de inverno e ganso-patola Morus bassanus (® Cristina Girão Vieira).
 

Pela sua localização litoral algumas espécies marinhas demandam a sua praia. Neste grupo podemos encontrar espécies como o fulmar-glacial Fulmarus glacialis invernante ocasional, o ganso-patola Morus bassanus invernante comum, o corvo-marinho-de-faces-brancas Phalocrocorax carbo espécie invernante pouco comum. Vários larídeos (gaivotas), a mais comum o guincho Larus ridibundus, a gaivota-de-asa-escura Larus fuscus e a gaivota-de-patas-amarelas Larus michahelis podem ser observadas todo o ano, enquanto a gaivota-tridáctila Rissa tridactyla é um invernante raro. A andorinha-do-mar-comum Sterna hirundo é outra ave marinha que pode ser aqui observada todo o ano. Espécies como o airo Uria aalge, a torda-mergulheira Alca torda e o papagaio-do-mar Fratercula arctica são invernantes pouco comuns ou raros. A calhandrinha Calandrella brachydactyla é uma espécie estival que procura as dunas.

Na duna primária podemos encontrar espécies como o borrelho-de-coleira-interrompida Charadrius alexandrinus, a cotovia-de-poupa Galerida cristata, a fuinha-dos-juncos Cisticola juncidis e o pintarroxo Carduelis cannabina.

RNDSJ -  pateira Cristina Girão Vieira
Pateira com algumas centenas de aves (® Cristina Girão Vieira).

No início da década de 80, foi aberto um grande charco na Reserva como forma de recuperar uma zona atingida por um incêndio. Este charco, a pateira, veio a tornar-se de grande importância para os anatídeos invernantes. De facto, é das áreas do país com maior efetivo de espécies de anatídeos invernantes, tais como o pato-real Anas platyrhynchos, a marrequinha Anas crecca e a piadeira Anas penelope. O pato-negro Melanitta nigra é também muito comum, não só aqui como também em toda a ria de Aveiro, apresentando no seu conjunto mais de 1% da população da Europa. Outros anatídeos podem ser aqui observados mais ocasionalmente, caso do pato-de-bico-vermelho Netta rufina, o arrábio Anas acuta, o zarro-comum Aythya ferina e o zarro-castanho Aythya nyroca. Mas não só os anatídeos frequentam a pateira, também se pode, observar a garça-branca Egretta garzetta e a garça-cinzenta Ardea cinerea. Mais ocasional é a ocorrência do colhereiro Platalea leucorodia.

RNDSJ - Anas platyrhynchos Pato-real macho cuidar penas Cristina Girão Vieira Anas crecca Marrequinha macho Cristina Girão Vieira
Pato-real Anas platyrhynchos e marrequinha Anas crecca ambos machos em plumagem nupcial (® Cristina Girão Vieira).

Na zona da mata podemos destacar, pela sua presença constante e atitude curiosa, o pisco-de-peito-ruivo Erithacus rubecula, um passeriforme invernante. A família dos chapins faz-se representar pelo chapim-de-poupa Parus cristatus, chapim-preto P. ater, chapim-real P. majorchapim-azul Cyanistes caeruleus. Uma espécie rara é o papa-moscas-preto Ficedula hypoleuca. Também aqui habitam rapinas, caso do gavião Accipiter nisus e o açor Accipiter gentillis, que utilizam a mata e, por vezes, a pateira como território de caça.

A lagartixa de Bocage Podarcis bocagei, a lagartixa-do-mato Psammodromus algirus, a cobra-rateira Malpolon monspessulanus, a cobra-de-água-de-colar Natrix natrix são as espécies de répteis inventariadas até ao momento.

Nos anfíbios é possível observar o tritão-marmorado Triturus marmoratus, o sapo-de-unha-negra Pelobates cultripes, a salamandra-de-costelas-salientes Pleurodeles waltl, o sapo-parteiro Alytes obstetricans, a rela Hyla arborea e a rã-verde Rana perezi, entre outros.

Dos mamíferos podemos destacar, como predadores, a gineta Genetta genetta e a raposa Vulpes vulpes, que, aqui se alimenta sobretudo de roedores, sendo a presa principal o rato-do-campo Apodemus sylvaticus. No entanto, também utiliza na sua alimentação frutos silvestres da camarinheira Corema album e o coelho-bravo Oryctolagus cuniculus. Os patos são outra das suas presas, sendo por vezes possível observá-la a tentar a sua sorte junto à pateira. Outros mamíferos habitantes da Reserva são o musaranho-de-dentes-brancos Crocidura russula, o ouriço-cacheiro Erinaceus europaeus e a toupeira Talpa occidentalis.

Anas penelope Piadeira macho Cristina Girão Vieira Anas clypeata Pato-trombeteiro macho Cristina Girão Vieira
Piadeira Anas penelope repousando e pato-trombeteiro Anas clypeata ambos machos em plumagem nupcial (® Cristina Girão Vieira).

Topo