Fauna

Fauna
Fauna da Reserva Natural do Paul de Arzila.

Ardea purpurea Garça-vermelha voo CGV
Garça-vermelha Ardea purpurea (® Cristina Girão Vieira) sobre as águas do paul...

O Vale do Baixo Mondego foi, outrora, uma imensa zona húmida que, ao longo de milénios, proporcionou condições ideais para a existência e desenvolvimento de muitas espécies animais, que aí concentravam grandes efetivos populacionais. Atualmente, para além do estuário, restam apenas algumas zonas húmidas, que têm assegurado a continuidade das formações e comunidades representativas, e bem assim contribuído para a manutenção da sua diversidade biológica.

A Reserva é uma dessas últimas zonas húmidas, com fatores geográficos, extensão e cobertura vegetal adequados à fixação e desenvolvimento de diversas comunidades, principalmente aves, que utilizam a Reserva Natural quer como local de nidificação quer como refúgio de inverno ou, ainda, como área de repouso e alimentação durante as migrações.

A existência das diferentes comunidades faunísticas, bem como dos seus efetivos populacionais, não apresenta, de forma alguma, valores estáticos; pelo contrário, estes são indicadores da evolução de um ecossistema naturalmente frágil, cujos estatutos de proteção não obstam a que nele ocorram transformações, sendo muitas delas devidas a fatores exógenos, por vezes complexos, cujos parâmetros nem sempre são de fácil definição.

Estão referenciadas 207 espécies de Invertebrados, pertencentes a 5 Classes, nomeadamente Turbelários (1 espécie), Moluscos (30 espécies), Anelídeos (4 espécies), Aracnídeos (1 espécie) e Insetos (171 espécies).

Relativamente às Classes de Vertebrados, estão referenciadas 181 espécies.

Peixes
Referenciadas 15 espécies. Segundo o Livro Vermelho dos Vertebrados, uma espécie tem estatuto de Vulnerável, outra tem o de Insuficientemente Conhecida e outra o de Comercialmente Ameaçada. No Anexo III da Convenção de Berna, encontram-se 3 espécies; no Anexo B II da Diretiva Habitats encontram-se igualmente 3 espécies. Destaca-se a ocorrência de 2 endemismos ibéricos – o barbo Barbus bocagei e a boga Chondrostoma polylepis – e 1 endemismo lusitano o ruivaco Rutilus macrolepidotus.

Anfíbios
Identificadas 8 espécies todas protegidas ao abrigo da Convenção de Berna, pertencendo 6 ao Anexo III e 2 ao Anexo II; a Diretiva Habitats abrange 1 espécie do Anexo B II e 2 do Anexo B IV. Destaca-se a ocorrência de 3 endemismos ibéricos, nomeadamente o tritão-de-ventre-laranja Triturus boscai, a rã-de-focinho-pontiagudo Discoglossus galganoi e o sapinho-de-verrugas-verdes Pelodytes ibericus.

Répteis
Referenciadas 11 espécies, todas abrangidas pela Convenção de Berna,  sendo 8 do Anexo III e 3 do Anexo II; na Diretiva Habitats encontram-se 3 espécies – 2 no Anexo B II e 1 no Anexo B IV.  É de salientar a existência de 1 endemismo ibérico, designadamente o lagarto-de-água Lacerta schreiberi.

Aves
Referenciadas 126 espécies. Segundo o Livro Vermelho dos Vertebrados, 1 espécie é considerada Em Perigo, 8 têm estatuto Vulnerável, 6 têm estatuto de Rara e 5 o de Insuficientemente conhecida. Das 126 espécies, 117 encontram-se ao abrigo da Convenção de Berna, sendo 35 do Anexo III e 82 do Anexo II; 55 espécies pertencem ao Anexo II da Convenção de Bona; encontram-se ainda 17 espécies abrangidas pela Diretiva Aves. Merecem destaque a águia-pesqueira Pandion haliaetus, o goraz Nycticorax nycticorax, a garça-vermelha ou imperial Ardea purpurea, o tartaranhão-ruivo-dos-pauis ou águia-sapeira Circus aeruginosus, a águia-calçada Aquila pennata, a cigarrinha-ruiva Locustella luscinioides, a águia-cobreira Circaetus gallicus, o garçote Ixobrychus minutus, o milhafre-preto Milvus migrans e a narceja Gallinago gallinago.

Alcedo atthis Guarda-rios casal Nycticorax nycticorax Goraz macho CGV
Casal de guarda-rios Alcedo atthis (fêmea à esquerda e macho à direita, com bico todo preto) e goraz Nycticorax nycticorax macho (2ª foto ® Cristina Girão Vieira).

Mamíferos - 21 espécies. Segundo o Livro Vermelho dos Vertebrados, 2 espécies têm estatuto de Vulnerável e outras 2 têm o de Insuficientemente conhecida. Pela Convenção de Berna encontram-se abrangidas13 espécies – 9 no Anexo III e 4 no Anexo II; 4 espécies pertencem ao Anexo II da Convenção de Bona e 1 ao Anexo B II da Diretiva Habitats. Destaca-se a presença de dois endemismos ibéricos, nomeadamente o musaranho-de-dentes-vermelhos Sorex granarius e o rato-das-hortas Mus spretus. Destaque ainda para a lontra Lutra lutra e o gato-bravo Felis silvestris

Felis silvestris Gato-bravo  Lutra lutra Lontra - CC
Gato-bravo Felis silvestris e lontra Lutra lutra (® Carlos Carrapato).

Topo