Fauna

Fauna
Fauna da Reserva Natural do Paul do Boquilobo.

RNPB - garçal CGV
Garçal (® Cristina Girão Vieira).

No Paul do Boquilobo foram inventariadas 16 espécies de peixes, 11 espécies de répteis, 13 espécies de anfíbios, 27 espécies de mamíferos e foram observadas cerca de 221 espécies de aves.

Na comunidade piscícola, realça-se, pela sua abundância, a enguia Anguilla anguilla, a fataça Lisa ramada e espécies introduzidas como a carpa Cyprinus carpio e a gambúsia Gambusia holbrooki que apresenta caráter invasor.

Destaca-se a presença de ruivaco Rutilus macrolepidotus juntamente com a boga-portuguesa Iberochondrostoma lusitanicum que apresentam grande relevância em termos de conservação da natureza por constituírem endemismos lusitânicos.

Entre as espécies introduzidas salienta-se a presença de um crustáceo, o lagostim-vermelho da Louisiana Procambarus clarkii, espécie não indígena, cuja dinâmica populacional conjuntamente com as características físicas do meio (excelentes locais de abrigo), favorecem o seu caráter invasor.

Procambarus clarkii Lagostim-vermelho da Luisiana CGV Meles meles texugo
Lagostim-vermelho da Louisiana Procambarus clarkii (® Cristina Girão Vieira), uma espécie invasora da América do Norte | texugo Meles meles (® Fernando F. Pereira), autóctone de Portugal.

Na classe dos anfíbios destaca-se a presença de 4 endemismos ibéricos, nomeadamente o tritão-de-ventre-laranja Triturus boscai, o sapo-parteiro-ibérico Alytes cisternasii, a rã-de-focinho pontiagudo Discoglossus galganoi  e a rã-verde Rana perezi. Embora se tenha vindo a verificar um decréscimo acentuado na abundância e diversidade na população de anfíbios desta Reserva Natural, além da rã-ibérica Rana iberica, o tritão-marmorado Triturus marmoratus e a salamandra-de-costelas-salientes Pleurodeles waltl são consideradas as mais representativas.

Relativamente aos répteis, a cobra-de-água-viperina Natrix maura, a lagartixa-ibérica Podarcis hispanica, a lagartixa-do-mato Psamodromus algirus e a osga-comum Tarentola mauritanica são, respetivamente, o ofídeo e os sáurios mais frequentes, sendo observados, com exceção da cobra-de-água, em terrenos com características mais xéricas (i. e. secas), como é o caso do montado e de zonas habitacionais. Devido ao seu estatuto de ameaça, a ocorrência do cágado-de-carapaça-estriada Emys orbicularis é de particular interesse.

Emys orbicularis Cágado-de-carapaça-estriada Rana perezi Rã-verde
Cágado-de-carapaça-estriada Emys orbicularis e rã-verde Rana perezi (® Fernando F. Pereira).

No grupo dos mamíferos, destaca-se a presença da lontra Lutra lutra, do rato de Cabrera Microtus cabrerae, do morcego-arborícola-gigante Nyctalus lasiopterus e do gamo Dama dama. São comum o texugo Meles meles, o saca- rabos Herpestes ichneumon, a geneta Genetta genetta, o toirão Mustela putoris, a doninha Mustela nivalis, a raposa Vulpes vulpes e o javali Sus scrofa.

Apesar da grande diversidade biológica existente na Reserva Nacional do Paul do Boquilobo, a componente avifaunística é, sem dúvida, a mais abundante e a de maior valor para a conservação.

Destaca-se a presença de uma importante colónia de ardeídeos que depende inteiramente das zonas permanentemente alagadas, utilizadas para nidificação, repouso e alimentação. As espécies que aqui nidificam são por ordem de grandeza numérica - garça-boeira Bubulcus ibis, garça-branca-pequena Egretta garzetta, goraz Nycticorax nycticorax, garça-cinzenta Ardea cinerea, garça-vermelha Ardea purpurea e papa-ratos Ardeola ralloides. O colhereiro Platalea leucorodia nidifica igualmente nesta colónia e merece especial referência por ser, em Portugal, um dos seus poucos locais de nidificação. Recentemente tem-se verificado a nidificação de íbis-preta Plegadis falcinellus e de corvo-marinho-de-faces-brancas Phalacrocorax carbo. Contabilizando a cegonha-branca Ciconia ciconia e um ou dois casais de milhafre-preto Milvus migrans constata-se que esta colónia tem um total de 11 espécies, o que é único em termos nacionais e raro a nível europeu.
 

Acrocephalus arundinaceus Rouxinol-grande-dos-canicos CGV Ardea cinerea Garça-cinzenta 350-180 pxl
Macho de rouxinol-grande-dos-caniços Acrocephalus arundinaceus a cantar (® Cristina Girão Vieira) e garça-real Ardea cinerea à pesca (® Fernando F. Pereira).

Para além destas espécies merece destaque a nidificação das seguintes aves aquáticas: galeirão Fulica atra; pernilongo Himantopus himantopus; zarro-comum Aythya ferina; pato-trompeteiro Anas clypeata; mergulhão-pequeno Tachybaptus ruficollis e mergulhão-de-crista Podiceps cristatus; borrelho-pequeno-de-coleira Charadrius dubius; rouxinol-grande-dos-caniços Acrocephalus arundinaceus; felosa-unicolor Locustella naevia. Num passado recente, ocorreu a nidificação da gaivina-dos-pauis Chlidonias hybrida, o que já não se verifica. O marreco Anas querquedula, embora atualmente apenas com a presença de indivíduos de passagem, também está registado como nidificante.
 

Nycticorax nycticorax Goraz no ninho 350-180 pxl RNPB - Platalea leucorodia Colhereiro no ninho
Garçote Ixobrychus minutus e colhereiro Platalea leucorodia.
 

Quanto às aves terrestres que aqui procriam são de referir o peneireiro-comum Falco tinununculus, o peneireiro-cinzento Elanus caeruleus, a coruja-do-mato Strix aluco, o noitibó-de-nuca-vermelha Caprimulgus ruficollis, o pica-pau-malhado-grande Dendrocopus major, o pica-pau-galego Dendrocopus minor, a andorinha-dáurica Cecropis daurica ou o pardal-francês Petronia petronia, entre muitas outras espécies.

Também para as aves invernantes a Reserva Natural tem uma importância acrescida destacando-se os anatídeos, que embora não tenham efetivos totais comparáveis com outras zonas de estuário representam para espécies como o arrábio Anas acuta, o zarro-comum Aythya ferina mais de 50% da população invernante. Regista-se também a presença regular da marrequinha Anas crecca, da piadeira Anas penelope, da frisada Anas strepera, do pato-trombeteiro Anas clypeata, do pato-real Anas plathyrhynchos, ou do zarro-negrinha Aythya fuligula, realçando assim a sua diversidade. A águia-pesqueira Pandion haliaetus, o esmerilhão Falco columbarius, o falcão-peregrino Falco peregrinus, a coruja-do-nabal Asio flammeus, a garça-branca-grande Egretta alba, o abibe Vanellus vanellus, a tarambola-dourada Pluvialis apricaria ou o tentilhão-montês Fringilla montinfringilla também podem ser observados com alguma facilidade.

Anas crecca Marrequinha macho (1) CGV Anas penelope Piadeira macho (1) CGV
Macho de marrequinha Anas crecca e macho de piadeira Anas penelope em plumagem nupcial (® Cristina Girão Vieira).

O Paul do Boquilobo, à semelhança de outras zonas húmidas, tem uma enorme importância como local de repouso e alimentação para as espécies migradoras, sendo de destacar a ocorrência do maçarico-de-bico-direito Limosa limosa ou do combatente Philomachus pugnax.

Rallus aquaticus Frango-d’água Elanus caeruleus Peneireiro-cinzento CGV
Frango-d'água Rallus aquaticus | peneireiro-cinzento Elanus caeruleus à caça (® Cristina Girão Vieira).

 Topo