Flora

Flora
Flora da Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António.

RNSCMVRSA - sapal 2
Sapal. 

Na área da Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António encontram-se registadas 462 espécies de plantas, das quais se destacam, pelo seu estatuto de conservação, as espécies Picris algarbiensis (endemismo lusitânico, i.e. espécie que apenas existe naturalmente em Portugal continental, e considerada “vulnerável”), Limonium diffusum (espécie “ameaçada”) e Beta macrocarpa (espécie também “vulnerável”).

Na Diretiva Habitats estão incluídas 3 espécies que aqui ocorrem, nomeadamente, Melilotus fallax, no anexo II, o briófito Riella helicophylla, também no anexo II (Castro Marim é a única localidade conhecida em Portugal onde ocorre) e Picris willkommii, no anexo IV (endemismo ibérico, i.e. espécie que apenas existe naturalmente na Península Ibérica, e presente apenas nas colinas junto à foz do Guadiana). 

No sapal as espécies mais comuns são a morraça Spartina maritimaSarcocornia perennis (syn Arthrocnemum perenne), Halimione portulacoides (syn Atriplex portulacoides), Spartina versicolorArthrocnemum macrostachyum (syn Arthrocnemum glaucum) e a barrilha ou valverde-dos-sapais Suaeda vera.

Arthrocnemum macrostachyum Suaeda vera valverde-dos-sapais Spartina maritima Morraça
Arthrocnemum macrostachyum, a barrilha ou valverde-dos-sapais Suaeda vera e a morraça Spartina maritima.

Nos sapais secundarizados o elenco florístico apresenta algumas semelhanças com o do sapal, diferindo principalmente nas espécies dominantes e na densidade de vegetação. Nestes, as espécies mais comuns são Frankenia laevis, Lolium rigidum, Centaurium tenuiflorum tenuiflorum, Spergularia salina e Medicago polymorpha (syn Medicago nigra), espécies que são, na sua maioria, típicas de meios mais secos.

Nas áreas florestais encontram-se montados de sobro Quercus suber ou povoamentos mistos de sobro e pinheiro-bravo Pinus pinaster ou pinheiro-manso Pinus pinea com subcoberto pouco desenvolvido. As espécies dominantes do subcoberto são o tojo do sul, tojo-gatenho ou tojo-gatunho Genista hirsuta, o tojo-durázio Ulex parviflorus parviflorus, o rosmaninho Lavandula luisieri e a roselha-pequena Cistus crispus.

A vegetação característica dos matos é constituída sobretudo por espécies anuais, vivazes ou xerofíticas (i.e. adaptadas a ambientes secos), estando adaptadas a condições edáficas e climáticas hostis. As espécies mais comuns são o sargaço Cistus monspeliensis e o tojo do sul Genista hirsuta

Chamaerhops humilis Palmeira-das-vassouras - CGV Cistus crispus Roselha CGV
Palmeira-anã Chamaerops humilis, também chamada palmeira-das-vassouras e roselha-pequena Cistus crispus (® Cristina Girão Vieira).

Topo

Acções do Documento