Você está aqui: Entrada / FLORESTAS / Fitossanidade Florestal / Agentes Bióticos Nocivos / Sugador-de-pinhas / Biologia e Sintomas

Biologia e Sintomas

Inseto. Leptoglossus occidentalis. Sugador-de-pinhas. Coníferas. Postura. Sintomas. Biologia. Ciclo de vida. Dispersão

Sintomas

sugador-numa-pinha-2015.jpgAs pinhas não apresentam sintomas associados à presença de Leptoglossus occidentalis. O inseto tem uma boca tipo seringa que introduz por baixo das “escamas “ das pinhas e suga o endosperma das sementes, podendo destruir a maioria das sementes, “sem causar sintomas exteriores visíveis”.

A atividade alimentar dos insetos pode destruir mais de 75% das sementes, sem apresentar sintomas exteriores

 
Sugador-de-pinhas a alimentar-se numa pinha
Fonte: Whitney Cranshaw, Colorado State University,

Bugwood.org

 

Biologia

Ciclo de vida

No nosso país é ainda desconhecido o ciclo de vida deste inseto, sendo que no Canadá e EUA tem uma geração por ano, em Itália 2 a 3 gerações e no México até 3 gerações.

As fêmeas começam as posturas, nas agulhas das árvores (em fiadas de 8 a 11 ovos), a partir do meio - fim da primavera e os ovos eclodem ao fim de 10 dias. Durante o verão o inseto desenvolve-se em cinco fases ninfais até atingir a fase adulta no final de agosto. Durante estas fases as ninfas alimentam-se das flores e das pinhas em formação.

Logo que as temperaturas começam a baixar os adultos hibernam, procurando refúgio em diversos locais como madeira seca, debaixo da casca dos pinheiros, dentro de ninhos e até dentro de casas, recomeçando o ciclo na primavera seguinte, altura em que acasalam.

 

Dispersão

A dispersão dá-se de forma natural já que os adultos são voadores extremamente fortes. Quando saem da hibernação dispersam-se rapidamente à procura de locais de alimentação.
Pensa-se que a sua introdução na Europa foi acidental, não existindo referências quanto à forma como tal aconteceu.

Acções do Documento