Você está aqui: Entrada / FLORESTAS / Fitossanidade Florestal / Grupos Operacionais / Grupo Operacional GEOSUBER

Grupo Operacional GEOSUBER

Grupo Operacional GEOSUBER

O ICNF, I.P. é parceiro do Grupo Operacional “GEOSUBER” financiado pelo Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural (FEADER), no âmbito do PDR2020 (Programa de Desenvolvimento Rural 2014-2020). Liderado pela UNAC, decorrerá de janeiro de 2018 a dezembro de 2020.

PDR-PT2020-FEADER.png

 

Porquê este projeto?

No montado de sobro em Portugal, ao longo das últimas 3 décadas, constatou-se um fenómeno de perda de vigor e consequente declínio. Se por um lado uma multiplicidade de fatores bióticos e abióticos foram identificados como potenciais responsáveis ou intervenientes no desequilíbrio do ecossistema, por outro lado, a ação do Homem na componente de gestão dos povoamentos tem também um papel determinante para ajudar a inverter a situação.

A estratégia nacional para adaptação às alterações climáticas refere um agravamento do stress ambiental levando a um aumento do declínio do montado.

Verifica-se a inexistência até à data de mecanismos de monitorização da vitalidade do montado em tempo útil, tendo esta fragilidade sido identificada pelo menos desde 2007 (Edmundo, S. – Perda de vigor dos montados de sobro e azinho) sem que tenham ocorrido avanços significativos nesta problemática.

A presente iniciativa pretende dar um contributo para a identificação e diagnóstico de situações de stress no sobreiro recorrendo para o efeito a tecnologias de deteção remota próxima e análise espacial para monitorizar o estado de vitalidade da árvore com integração em sistemas de informação e posterior disponibilização numa aplicação web e móvel. A oportunidade surge da nova política de acesso aberto a imagens de satélite por parte da agência espacial europeia e da maturidade e reduzido custo de operação dos sistemas aéreos não tripulados (VANT) que complementam e potenciam o uso de dados espetrais para melhoria nos processos de gestão agro-florestal.

Integrando a tecnologia e o conhecimento, poderá ser possível ao produtor florestal dispor de informação rigorosa e fiável numa base mensal que permitirá monitorizar o montado, aferindo de forma mais atempada o seu desenvolvimento no que diz respeito, por exemplo, à perda de vitalidade e à identificação de situações de stress, possibilitando recomendações de gestão específicas e uma intervenção mais eficaz que possa contribuir para inverter essa tendência.

 

O que se pretende?

O Grupo Operacional (GO) GEOSUBER procura garantir a monitorização periódica do estado vegetativo do montado através de deteção remota e disponibilizar ao produtor florestal através de uma plataforma on-line, a informação necessária para operacionalizar a gestão. Em particular, pretende-se:

  • Desenvolver uma plataforma web para alojamento e disponibilização da informação processada;
  • Identificar zonas de perda de vitalidade para o estabelecimento de recomendações de gestão à escala da propriedade, de forma a tentar inverter a tendência atuando de forma preventiva; 
  • Realizar a inventariação anual de árvores mortas e a produção de cartografia de apoio ao requerimento de corte/ arranque de sobreiros que é normalmente feito no último trimestre de cada ano;
  • Monitorizar a evolução do índice foliar do sobreiro e a sua relação com o início do período de descortiçamento;
  • Manter um registo histórico georreferenciado da mortalidade do sobreiro;
  • Manter, à escala regional, um registo histórico georreferenciado da vitalidade do montado; 
  • Promover gestão adaptativa que reforce a resiliência do montado;
  • Divulgar os principais resultados do projeto aos agentes do sector.


Quem beneficiará?

Produtores florestais individuais e associações de produtores, técnicos do setor florestal, instituições governamentais, autarquias nas regiões principais de produção do sobreiro, organismos da administração pública (central e local), empresas florestais e de produtos fitofarmacêuticos, instituições de I&DT.

Para além destes benificiários diretos, a iniciativa prevê a divulgação dos resultados para a sociedade em geral, por forma a alertar os cidadãos para o problema identificado, as implicações socioeconómicas para o país e a forma como a iniciativa irá contribuir para as soluções que possam assegurar a sustentabilidade dos montados de sobro.

 

Quem participa?

PARCEIROS DESIGNAÇÃO ABREVIATURAS
 UNAC - União da Floresta Mediterrânica (Leader)  UNAC
 Anta de Cima - Sociedade Agrícola, Unipessoal Lda.  Anta de Cima
 Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, I.P.  ICNF, I.P.
 Companhia das Lezírias S.A.  Companhia das Lezírias
 Associação dos Produtores Florestais do Concelho de Coruche e Limítrofes  APFC
 Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa  FCUL
 Instituto Superior de Agronomia  ISA
 Luís Filipe Bual Falcão da Luz
 -
 Pedro Miguel Belo Ramos Courinha Martins  -
 Pedro Sacadura Teixeira Cabral Duarte da Silveira
 -
 Sociedade Agrícola do Freixo do Meio Lda.
 -
 Sociedade Agrícola Monte da Sé Lda.  -
 Systerra - Engenharia e Gestão Lda.  SYSTERRA
   

 

Quais os resultados esperados?

  • Plataforma web de monitorização da vitalidade do montado;
  • Aplicação mobile para acesso e visualização dos dados obtidos;
  • Mapas de vigor e informação descritiva (tabelas e gráficos) ao nível da exploração florestal:
  • Mapa com informação sobre a vitalidade do sobreiro em cada parcela de referência
    • Mapa com índice de área foliar (IAF)
    • Mapa com índice de vegetação por diferença normalizada (NDVI)
    • Mapa com índice de vegetação ajustado ao solo (SAVI)
  • Recomendações de gestão adaptativa para recuperação da vitalidade;
  • Cartografia periódica da mortalidade ao nível da exploração;
  • Simplificação de procedimentos obrigatórios, como é o caso do levantamento do número de sobreiros para abate;
  • Determinação da influência da evolução do índice foliar no sobreiro na possibilidade de descortiçamento à escala da exploração;
  • Registo histórico georreferenciado da mortalidade do sobreiro;
  • Registo histórico georreferenciado da vitalidade do montado.

 

Como é financiado? 

Este projeto é financiado no âmbito do PDR2020 - Programa de Desenvolvimento Rural 2014-2020), Área 1 – Inovação e Conhecimento, Medida 1 – Inovação, Ação 1.1 – Grupos Operacionais.

O Programa de Desenvolvimento Rural (PDR) é um instrumento político e um mecanismo de financiamento utilizado pelos Estados-Membros para implementar as políticas de desenvolvimento rural da UE, num território específico. O PDR2020 tem como objetivo apoiar o investimento em explorações agrícolas e florestais, em empresas agroindustriais e na instalação de jovens agricultores, potenciado as condições para aumentar a competitividade.

O Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural (FEADER) é o principal instrumento de financiamento para a implementação do 2º pilar da Política Agrícola Comum, sendo o instrumento financeiro da União Europeia, destinado aos Estados-Membros, para alcançar diversos objetivos europeus de política de desenvolvimento rural, tais como melhorar a competitividade das empresas agrícolas, florestais e agroalimentares, ajudar a proteger a natureza e o ambiente, apoiar as economias rurais e melhorar a qualidade de vida nas zonas rurais. O FEADER financia também estratégias de desenvolvimento local e ações de assistência técnica (projetos do tipo "Leader") e contribui para a realização da Estratégia Europa 2020 através da promoção do desenvolvimento rural sustentável em toda a União, em complementaridade com os outros instrumentos da política agrícola comum, da política de coesão e da política comum das pescas.

Saiba mais sobre o FEADER no sítio do IFAP.

  • Entidade coordenadora

UNAC – União da Floresta Mediterrânica
Rua Mestre Lima de Freitas, n.º 1
1549-012 Lisboa
E-mail: geral@unac.pt  | URL: www.unac.pt

  • Divulgação

Parceiros
    UNAC: informação sobre o projeto aqui

Outras instituições
    Rede Rural Nacional: informação sobre o projeto aqui
   

2019-12-06

Acções do Documento