Você está aqui: Entrada / O ICNF / Perguntas Frequentes / Pragas e Doenças / Plátipo

Plátipo

Show or Hide answer 1 - Quais os principais sintomas/sinais?

As folhas do sobreiro tornam-se avermelhadas ou acastanhadas. Primeiro, “seca” uma pernada e posteriormente as seguintes até a copa ficar com a folhagem toda acastanhada. As folhas permanecem aderentes durante uns meses a um ano caindo posteriormente.

platipo-f101.jpg platipo-f102.jpg

Mais difícil de detetar são os orifícios, circulares e de pequena dimensão (cerca de 2 mm), com serrim de cor alaranjada a amarelada, no tronco e nas pernadas (que têm folhas secas). Na base do troco vê-se muitas vezes grande quantidade do serrim que se vai acumulando proveniente dos orifícios do tronco.

platipo-f103.jpg 

Este fenómeno decorre normalmente entre a primavera e o outono, sendo no entanto mais frequente o aparecimento de árvores com estes sinais depois do verão.

platipo-f104.jpg

U.A.: 2018-08-09

Show or Hide answer 2 - O que devo fazer quando os sobreiros e azinheiras começam a “secar”?

Deve-se fazer a marcação das árvores e requerer o pedido de abate.

platipo-f201.jpg

U.A.: 2018-08-09

Show or Hide answer 3 - Se tiver árvores a “secar” na minha propriedade com que frequência devo fazer os pedidos de abate?

Os pedidos devem ser feitos todos os anos a fim de não se deve deixar nos povoamentos árvores secas, decrépitas e doentes de uns anos para os outros.

U.A.: 2018-07-18

Show or Hide answer 4 - Qual a melhor época para fazer os pedidos e abate?

Preferencialmente devem ser feitos no princípio do Outono (depois das primeiras águas) para serem autorizados e, depois de obtida a autorização, as árvores serem atempadamente abatidas e removidas dos povoamentos antes do período de emergência dos adultos.

U.A.: 2018-07-18

Show or Hide answer 5 - Como identificar o inseto?

O Platypus cylindrus é um insecto da família dos Coleópteros que mede entre 5 a 8 mm de comprimento.

platipo-f501.jpg
A. Macho. B. Micângio do macho. C. Fêmea. D. Micângio de fêmea.
E. Micélio em crescimento e esporos na cavidade do micângio de uma fêmea (Inácio et al., 2011).

U.A.: 2018-08-09

Show or Hide answer 6 - Onde me posso dirigir para identificação de possíveis agentes (fungos e insectos) causadores da morte das árvores?

Pode dirigir-se ao ICNF (quando faz o pedido de abate) e INIAV.

U.A.: 2018-07-18

Show or Hide answer 7 - Existe algum tipo de tratamento?

Apesar de não haver luta direta deve-se fazer a retirada das árvores secas e doentes antes da emergência dos insetos adultos pois irá diminuir a progressão da dispersão dos insectos.

A fim de diminuir a progressão deve colocar-se armadilhas com feromonas a fim de atrair as fêmeas e retirar assim dos povoamentos um grande número de insectos que por sua vez iriam produzir um grande número de descendentes. As feromonas são substâncias químicas que servem principalmente para atrair parceiros sexuais. No caso específico deste inseto são atraídas principalmente as fêmeas. As feromonas têm uma duração de cerca de 2 meses, perdendo eficácia ao longo do tempo de permanência no campo.

Não se deve colocar inseticida pois, além de não ser eficaz, poderá ter efeitos ainda não conhecidos nos produtos da cortiça em contacto com alimentos, nomeadamente a rolha.

platipo-f701.jpg

U.A.: 2018-08-09

Show or Hide answer 8 - Que técnicas culturais posso implementar para melhorar o estado vegetativo do arvoredo?

As árvores atacadas devem ser removidas do povoamento antes do período de emergência dos insetos. No caso de se optar pela queima dos despojos esta deve ser feita, de preferência, no próprio local, no Inverno, para evitar a dispersão das pragas e doenças.

Além desta medida é importante serem promovidas boas práticas de gestão como evitar ferir as árvores durante o descortiçamento, desinfetar os instrumentos de poda e de despela sempre que incidam sobre árvores que se suspeite estarem doentes e evitar podas exageradas.

U.A.: 2018-07-18

Show or Hide answer 9 - Esta praga é nova no nosso país?

Este inseto é conhecido no nosso país desde 1870. A sua dispersão atual poderá ser devido a vários fatores que afetam os montados, descortiçamentos mal efetuados, permanência no terreno de árvores doentes, mortas e decrépitas e outras práticas de gestão inadequadas, aliadas à idade do arvoredo e a anos sucessivos de seca.

Este inseto tem uma larga distribuição em toda a Eurásia e nos países da bacia do mediterrâneo, incluindo o Norte de Africa e a ilha de Córsega.

U.A.: 2018-07-18

Acções do Documento