Você está aqui: Entrada / O ICNF / Notícias / Eventos / Dia da Reserva Nat. do Sapal de C. Marim e V. R. Sto. António | 27 março

Dia da Reserva Nat. do Sapal de C. Marim e V. R. Sto. António | 27 março

Dia da Reserva Nat. do Sapal de C. Marim e V. R. Sto. António | 27 março
Dia da Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António

Pormenores do evento

Quando

2018-04-27
de 00:00 até 00:00

Onde

Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António

Telefone do Contacto

+351 281 510 680

Adicionar evento ao calendário

 

Sobre a Reserva

A 27 de março, assinala-se o Dia da Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António criada através do Decreto nº 162/75, da mesma data, tendo sido a primeira Reserva Natural criada no continente português.

As razões que estiveram na origem da criação da Reserva prendem-se com o interesse biológico da zona, nos seus múltiplos aspetos ecológico, botânico, ornitológico (i.e. de aves) e ictiológico (i.e. de peixes), o valor arqueológico do aglomerado urbano de Castro Marim (onde persistem vestígios de ocupação préhistórica, fenícia, romana, árabe e cristã), assim como a alta sensibilidade da área e a sua capacidade influenciadora de fatores económicos regionais, designadamente da pesca, da salinicultura e do turismo.

Na área da Reserva encontram-se registadas 462 espécies de plantas, das quais se destacam, pelo seu estatuto de conservação, as espécies Picris algarbiensis (endemismo lusitânico considerado “vulnerável”), Limonium diffusum (espécie “ameaçada”) e Beta macrocarpa (espécie também “vulnerável”). Na Diretiva Habitats estão incluídas 3 espécies que aqui ocorrem, nomeadamente, Melilotus fallax, no anexo II, o briófito Riella helicophylla [PDF 149 KB], também no anexo II (Castro Marim é a única localidade conhecida em Portugal onde ocorre) e Picris willkommii, no anexo IV (endemismo ibérico presente apenas nas colinas junto à foz do Guadiana). 

O sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António é reconhecido pela sua importância para a reprodução de várias espécies de peixes – funciona como um viveiro natural – e como local de passagem, invernada e nidificação de numerosas espécies de aves, sendo uma das áreas de maior interesse ornitológico (i.e. para as aves) do nosso país.

Acções do Documento
classificado em: