Você está aqui: Entrada / PATRIMÓNIO NATURAL / BIODIVERSIDADE / Gestão da Biodiversidade / Programas e Projetos / Projeto LIFE+ Trachemys

Projeto LIFE+ Trachemys

Projeto LIFE+ Trachemys
Projeto LIFE+ Trachemys - Estratégias e técnicas demonstrativas para a erradicação de cágados invasores (LIFE09 NAT/ES/000529). Parceiros e apoios. Objetivos. Causas de introdução de espécies exóticas. Impactes das tartarugas exóticas. Legislação. Como ajudar. Contactos dos Centros de Receção Oficiais. Sítio oficial do projeto.

Trabalho de campo - RIAS Emys orbicularis reprodução em cativeiro - RIAS
Trabalho de campo e reprodução em cativeiro de cágado-de-carapaça-estriada Emys orbicularis (® RIAS).


A introdução de espécies exóticas invasoras é atualmente um dos principais problemas de conservação da biodiversidade, em todo o mundo. Na Europa, e em especial na zona mediterrânica, a presença de tartarugas-de-água-doce alóctones (exóticas) é especialmente preocupante para as espécies autóctones (nativas) de cágado-de-carapaça-estriada Emys orbicularis [PDF 146 KB] e de cágado-mediterrânico Mauremys leprosa [PDF 144 KB]. Para reduzir este impacto um conjunto de entidades, em Portugal e em Espanha, iniciou, em 2011, o projeto LIFE + Biodiversidade intitulado “Estratégias e técnicas demonstrativas para a erradicação de cágados invasores (LIFE09 NAT/ES/000529), mais conhecido como LIFE + Trachemys, num complexo de lagoas definido como área de estudo controlo, no Parque Natural da Ria Formosa (Portugal) e na província de Valência (Espanha).

O programa LIFE+ é o instrumento financeiro para a conservação e proteção da natureza na União Europeia, que cofinancia iniciativas ambientais nos seus estados membros, estando este projeto incluído na secção “LIFE + Biodiversidade”, que visa desenvolver trabalhos inovadores ou de demonstração que contribuem para a concretização dos objetivos da Comissão Europeia, “Travar a perda de Biodiversidade.

Parceiros e apoios

Sendo um projeto pioneiro e inovador, relacionado com uma problemática tão relevante a nível de conservação internacional, conta com a participação e troca de experiências entre uma universidade (CIBIO/UP – Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos da Univ. do Porto), uma Organização Não Governamental (Associação Aldeia / RIAS - Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens), uma administração regional (Generalitat Valenciana), e duas empresas públicas (Parque Biológico de Gaia e Vaersa). É ainda licenciado a nível nacionais pelas entidades competentes e, em Portugal, conta com o apoio do Parque Natural da Ria Formosa.

Objetivos

Este projeto tem como principais objetivos o teste da eficácia de novas metodologias para o controlo/erradicação das populações de cágados exóticos invasores estabelecidos, essencialmente de tartaruga da Florida Trachemys scripta, espécie com altos impactos ecológicos em habitats naturais, bem como contribuir para a melhoria das populações nativas ameaçadas de cágado-de-carapaça-estriada e de cágado-mediterrânico. Para isso, uma série de diferentes métodos de captura, nomeadamente diferentes tipos de armadilhas, cães de busca e georradar para ninhos estão a ser desenvolvidos e aplicados na área de estudo piloto, de forma a criar a estratégia mais eficaz para a erradicação de cágados exóticos. Entretanto, a avaliação e monitorização do estado das populações nativas está também a ser realizada, bem como a sua análise epidemiológica e molecular de forma a se obter um conhecimento mais abrangente a nível nacional e poderem ser aplicadas as melhores medidas de conservação. Estas ações são complementadas com diversas atividades de educação ambiental, prioritariamente nas regiões próximas das áreas de estudo, para se informar o maior número de pessoas e tentar evitar a libertação de mais indivíduos de cágados exóticos.

Causas de introdução de espécies exóticas

A principal causa de introdução de espécies exóticas fora da sua área natural de distribuição a nível mundial, deve-se em grande parte ao seu comércio como animais de estimação e consequente fuga ou libertação deliberada pelos seus proprietários. Estas situações podem ocorrer devido ás faltas de condições para os manterem (grandes dimensões que atingem, agressividade, ruído) ou pelo simples aborrecimento, que aliado à grande esperança de vida de algumas espécies como é o caso das tartarugas em geral, complica a situação.

Impactos das tartarugas exóticas

Estas tartarugas alimentam-se de várias espécies de plantas e animais, desde insetos e outros invertebrados até todos os vertebrados, incluindo anfíbios e répteis, pequenos mamíferos e aves. Apresentam ainda um conjunto de características demográficas, comportamentais e morfológicas que lhes conferem uma elevada capacidade competitiva, nomeadamente a baixa idade de maturação sexual, uma elevada fecundidade e maiores dimensões e agressividade do que as espécies autóctones, entrando em competição direta com as espécies nativas de cágado-de-carapaça-estriada Emys orbicularis [PDF 146 KB] e cágado-mediterrânico Mauremys leprosa [PDF 144 KB] por alimento, locais de termorregulação e locais de nidificação. Podem ainda contribuir para a dispersão de doenças e parasitas que podem afetar não só as populações nativas de cágados e outra biodiversidade aquática, mas também pessoas (ex.salmonelas).

Legislação

A importação da espécie Trachemys scripta elegans foi proibida a 9 de dezembro de 1996, através da inscrição da espécie no anexo B do Regulamento (CE) n.º 338/97 do Conselho. A 21 de dezembro de 1999, a detenção e comercialização de todas as subespécies desta espécie foi proibida através do Decreto-Lei nº 565/99

Como ajudar

  • Nunca liberte plantas ou animais exóticos na natureza;
  • Nunca recolha animais ou plantas nativas do meio natural;
  • Antes de adquirir um animal exótico, informe-se da sua biologia (e.g. tamanho que atinge e época de hibernação) e pondere se o poderá manter durante todo o seu período de vida;
  • Se possui um animal exótico e já não tem condições para cuidar dele, entregue-o nos Centros de Receção oficiais ou contacte o ICNF ou o SEPNA-GNR para o encaminharem para o local mais apropriado.
  • Se observar cágados exóticos invasores na natureza ou à venda comunique-nos através dos contactos do projeto.

 

Contactos

CIBIO/UP – Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos da Univ. do Porto
Jardim Botânico do Porto | R. do Campo Alegre 1195 | 4150-007 Porto
E-mail: lifecagados@gmail.com
Facebook - Lifecagados
Tel. 220 402 809

Contactos dos Centros de Receção Oficiais

RIAS - Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens - Olhão - Ria Formosa
E-mail: rias.aldeia@gmail.com
Telm: 927 659 313

Parque Biológico de Gaia
E-mail: geral@parquebiologico.pt
Tel: 227 878 120 

Acções do Documento