Informação Geral

Informações e conselhos úteis para visitar o Parque Natural do Tejo Internacional (PNTI). Quando visitar. Pontos de interesse. Mapa.
 

pnti1 pnti2 pnti3

Na planificação da sua visita deverá ter em consideração as recomendações descritas no Código de Conduta e Boas Práticas [PDF 1,6 MB] das e dos visitantes nas Áreas Protegidas, bem como os conselhos úteis que apresentamos em "Relacionados", à esquerda desta página, para melhor desfrutar da sua visita.

Ficam aqui algumas sugestões para a realização de passeios de automóvel, bem como a identificação dos locais mais emblemáticos e outros pontos de interesse, que poderá visitar de modo a que possa desfrutar o melhor possível da beleza extraordinária da paisagem, consolidar conhecimentos e divertir-se durante a visita.
 
Antes de fazer qualquer caminhada, consulte a Área Protegida para obter mais informações sobre os percursos, incluindo o seu estado de conservação.
 
Informa-se que o ICNF não se responsabiliza por quaisquer problemas que possam surgir no decorrer dos trajetos sugeridos.
 

 

Quando visitar?

O Parque Natural do Tejo Internacional poderá ser visitado ao longo de todo ano, sendo que, dependendo da época em causa, assim deverá ser escolhida a tipologia de atividades passíveis de realizar ao longo da visita à Área Protegida.

Topo

Pontos de interesse


PNTI - anta Cerqueira em Couto Esteves PNTI - muro apiário
Anta em Couto Esteves e muro apiário.

Muros apiários - são também conhecidos por muros de abelhas. Trata-se de estruturas feitas pelas populações para proteger as colmeias da ação de predadores, como o urso-pardo, hoje extinto em Portugal. Na Península Ibérica estas construções são de pedra, definindo recintos fechados, geralmente circulares, que podem atingir alguns metros de altura, com remates virados para o exterior e portas de pequena altura. Na área do Parque Natural do Tejo Internacional ocorrem três muros apiários, a saber os muros Marmeleiro, Silha e ribeira do Vale de Lobo, no concelho de Idanha-a-Nova.

Moinhos de água ou azenhas - estruturas para aproveitamento da energia cinética das águas dos rios e ribeiros. No Parque Natural conhecem-se moinhos para moer grão construídos junto a açudes situados próximo de povoações em linhas de água de fácil acesso. A passagem da água faz mover lemes de madeira que estão ligados a uma mó (pedra granítica redonda muito pesada) onde se mói o cereal (trigo, milho, cevada, aveia, etc.) transformando-o em farinha.

Dólmen e mamoa - os dólmens, também conhecidos por antas, orcas, arcas, e, menos vulgarmente, por palas, são monumentos pré-históricos (megalíticos - do grego "mega" grande e "lithos" pedra) tumulares coletivos formados por uma câmara construída a partir de uma grande laje pousada sobre pedras verticais (os esteios) que a sustentam. A câmara dolmética pode ser fechada, sendo necessária a remoção da tampa aquando de cada novo enterramento, ou pode ser aberta com uma abertura na parte lateral. Era um espaço sepulcral que, a maioria das vezes, se apresentava encoberto por um montículo artificial de terra, geralmente revestido por uma couraça de pequenas pedras imbricadas, formando aquilo que se designa por uma mamoa ou tumulus. Estas apresentam, geralmente, uma forma oval ou circular e tamanho variável, podendo atingir 40 m, e tinham a finalidade de proteger o dólmen, cobrindo-o completamente.

Outro património cultural e edificado - nos aglomerados urbanos existem alguns imóveis de interesse público e conjuntos edificados correspondendo à tipologia característica da zona. Os montes e arraiais, as furdas ou malhadas e outras construções tradicionais, dispersas no exterior dos aglomerados, constituem o testemunho dos sistemas agrários tradicionais. Destacam-se alguns valores presentes nas aldeias que integram área geográfica do Parque, com destaque para a Ponte Romana de Segura. Para além das aldeias de influência do PNTI (Rosmaninhal, Segura, Salvaterra do Extremo, Malpica do Tejo, Monforte da Beira, Celolais de Cima e Perais) e, nomeadamente, no concelho de Idanha-a-Nova, podem ser visitadas duas aldeias de grande valor cultural e etnográfico: Monsanto e Idanha-a-Velha.

Mapa


Clique sobre a imagem para ampliar [JPG 276 KB] 

PNTI - mapa

- Folheto informativo [PDF 3 MB];

Acções do Documento