Por Terras de Melgaço

Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG). Percursos turísticos para automóvel ou autocarro por estrada nacional ou florestal, atravessando as serras do Soajo e da Peneda, pelo território de Melgaço. Pontos de interesse. Mais informações. Mapa.

Pontos de interesse
Mais informações
Mapa

Na planificação da sua visita deverá ter em consideração as recomendações descritas no Código de Conduta e Boas Práticas [PDF 1,6 MB] das e dos visitantes nas Áreas Protegidas, bem como os conselhos úteis que apresentamos em "Relacionados", à esquerda desta página, para melhor desfrutar da sua visita.

Logo Porta Lamas Mouro  Castelo Castro Laboreiro
Logótipo da Porta de Lamas de Mouro e zona do castelo de Castro Laboreiro.

 

Acesso

a) Braga, Arcos de Valdevez, Mezio, Lamas de Mouro, Castro Laboreiro;
b) Braga, Melgaço, Lamas de Mouro, Castro Laboreiro. 
 
Ponto de partida e chegada: Braga ou Melgaço. 
Extensão: 145 km.
Duração: 2h:30min. 
Dificuldade: reduzida.
Apoios: sinalização rodoviária, painéis informativos nas entradas do PNPG (Mezio, Lamas de Mouro e Castro Laboreiro).
 
Percursos turísticos para automóvel ou autocarro por estrada nacional ou florestal, atravessando as serras do Soajo e da Peneda.
 

Pontos de interesse

Lamas de Mouro: poderá usufruir do espaço da Porta do Parque Nacional da Peneda-Gerês e visitar a sua Oficina Temática, cujo tema é o Ordenamento do Território.
 
Castro Laboreiro: aconselha-se a visita à povoação e ao castelo de Castro Laboreiro (percurso pedestre de aproximadamente 45 minutos. Dada a natureza da ruína, recomenda-se que sejam tomadas todas as precauções no sentido de se evitarem acidentes). Recomenda-se ainda a visita à Casa Castreja e ao Núcleo Museológico de Castro Laboreiro.
 
Brandas e inverneiras: poderá percorrer o vale de brandas e inverneiras de Castro Laboreiro e conhecer os pormenores deste interessante sistema de transumância. 
O que são as brandas e inverneiras? As brandas podem ser brandas de cultivo ou brandas de gado e localizam-se no planalto ou em chãs de altitude. São núcleos habitacionais temporários cujos terrenos são usados para a agricultura ou alimentação do gado, durante a primavera/ verão, quando essas áreas de montanha apresentam condições mais favoráveis a essas atividades humanas. Em contraposição às brandas surgem as inverneiras - núcleos habitacionais onde as populações passam o outono e inverno (daí o nome). Presentemente, nessa transumância imposta pelas condições agrestes do meio, nas aldeias que ainda mantém essa migração, as populações apenas transportam consigo o gado e alguns haveres.
 

Mais informações

 

Mapa

 
 PNPG - Itinerários por Melgaço
 

Topo