PR 5 Águia do Sarilhão

Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG). Trilhos pedestres "Na senda de Miguel Torga". Percurso pedestre de Pequena Rota (PR 5) da Águia do Sarilhão. Breve descrição. Pontos de interesse. Sítios úteis. Folhetos do percurso e da Geira romana. Águia-real. Aspetos históricos e culturais. Geira e marcos miliários. Espigueiros. Geomorfologia. "Pedestrian nature trail. Sarilhão Eagle Trail. Small route. Leaflet".
PNPG - Geira - milha XXIX 257-180 pxl PNPG - Fraga do Sarilhão
A Geira romana - milha XXIX com marcos miliários - e a Fraga da Águia do Sarilhão.

 

NOTA: Percurso desaconselhado, de momento.

Breve descrição   
Entidade promotora e responsável pela manutenção do percurso   

Na planificação da sua visita deverá ter em consideração as recomendações descritas no Código de Conduta e Boas Práticas [PDF 1,6 MB] das e dos visitantes nas Áreas Protegidas, bem como os conselhos úteis que apresentamos em "Relacionados", à esquerda desta página, para melhor desfrutar da sua visita.

Brochura do Parque Nacional da Peneda-Gerês [PDF 3,3 MB]

Percurso pedestre de Pequena Rota, sinalizado, com particular destaque para os aspetos históricos e culturais.

Nota: em 2009, este trilho sofreu um incêndio. Assim, o traçado final do trilho está um pouco alterado e revela resíduos da extração de madeira queimada, sendo necessários alguns trabalhos de remarcação da sinalização. Pode ser realizado, com esta ressalva, aconselhando-se a utilização do respetivo folheto informativo.

 
Localização: freguesia de Campo do Gerês, concelho de Terras de Bouro.
Ponto de partida / chegada:  Museu Etnográfico de Vilarinho da Furna / Porta do Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG) em Campo do Gerês. 
Extensão: 9 km. 
Duração: cerca de 3 h. 
Dificuldade: média. 
Apoios: sinalizado segundo as normas internacionais. Folheto disponível nesta página, na Porta do PNPG em Campo do Gerês, no Município de Terras de Bouro e respetivos Postos de Turismo ou no sítio da ADERE-PG.
 

Breve descrição

Este percurso pedestre percorre um vale aplanado, ocupado pelo ribeiro de Roda, desde o Museu de Vilarinho das Furnas até à margem esquerda da albufeira de Vilarinho das Furnas. 
 
Ao longo do percurso passamos por áreas de mato e pinhal, de vegetação ribeirinha, de medronhal Arbutus unedo e de carvalhal Quercus spp. Avistamos a fraga do Sarilhão, onde a águia-real construía os seus ninhos, e caminhamos um pouco na via romana (Geira), tendo a oportunidade de observar um núcleo de marcos miliários. 
 
Podemos ainda admirar vários elementos da arquitetura tradicional que a povoação de Campo do Gerês ainda preserva, principalmente habitações e espigueiros. Os espigueiros são construções onde se guardam as espigas de milho.
 

Pontos de interesse

 
Campo do Gerês - sugere-se a visita à povoação e à Porta do PNPG, que inclui o Museu de Vilarinho da Furna. 
 
Fraga do Sarilhão - aqui a Águia-real Aquila chrysaetos [PDF 168 KB] construia os seus ninhos. Esta é uma espécie com estatuto de proteção de "em perigo" de extinção, sendo pouco abundante na sua área de distribuição. É característica de vales alcantilados e de zonas de fragas, onde, habitualmente, constrói os ninhos.
 
Silha dos Ursos - uma silha é uma estrutura que protegia os cortiços do apetite por mel do urso-pardo Ursus arctos que vagueou por estas terras até meados do século XVII. As silhas eram construídas com blocos de granito (abundante na região), em parede dupla, com muros ligeiramente inclinados para fora, sendo a fiada superior ligeiramente saída e com altura sempre superior a 2,8 m. No seu interior, dispostos em pequenos socalcos e travados por pedras, eram colocados os cortiços, de forma circular e feitos de cortiça (daí o nome) e cobertos com um telhado de colmo. Algumas das silhas tinham pequenas portas que davam acesso ao interior. As silhas, de forma a favorecer o trabalho e a saúde das abelhas, eram sempre construídas em encostas ensolaradas e abrigadas do vento, voltadas a nascente/sul. Eram construídas perto da água e de vastas extensões de matos formados por plantas melíferas, compostos por urzes Erica spp, carqueja Pterospartum tridentatum subsp. tridentatum, tojo Ulex spp e giestas Cytisus spp.
 
Milha XXIX Via RomanaGeira romana é o nome dado à via n.º 18 do Itinerarum Antonini, uma estrada militar construída, provavelmente, no último terço do séc. I d. C., ligando Bracara Augusta (Braga) a Asturica Augusta (Astorga, em Espanha). Um dos troços melhor conservados situa-se neste Parque Nacional, entre Campo do Gerês e Portela do Homem. Nesse percurso é possível obervar vestígios arqueológicos, tais como os marcos miliários (que assinalavam a milha romana - cujo comprimento é diferente da milha atual - em grande parte epigrafados e que podemos observar neste trilho), ruínas de pontes, mutatios (estações de muda) e mansions (locais de descanso, mas que foram cobertos pelas águas da albufeira de Vilarinho das Furnas). Folheto sobre a Geira romana [PDF 1,8 MB].
 
 

Entidade promotora e responsável pela manutenção do percurso

Largo do Município | 4840-100 TERRAS DE BOURO | Portugal
Tel.: +351 253 350 010 | Fax: + 351 253 351 894
 

Sítios úteis

Topo

2018-08-01