Percurso - Variante Vermelha

Reserva Natural das Dunas de São Jacinto (RNDSJ). Percurso pedestre - variante vermelha. Breve descrição. Pequeno mapa. Flora. Fauna.
RNDSJ - Mata (4) Passadiço
Um aspeto da mata e o passadiço que permite apreciar a vegetação dunar sem lhe causar dano.

Na planificação da sua visita deverá ter em consideração as recomendações descritas no Código de Conduta e Boas Práticas [PDF 1,6 MB] das e dos visitantes nas Áreas Protegidas, bem como os conselhos úteis que apresentamos em "Relacionados", à esquerda desta página, para melhor desfrutar da sua visita.

Acesso: EN 327 entre Torreira e S. Jacinto.
Ponto de partida e chegada: Posto Informativo da Reserva.
Extensão: 7 km.
Duração: cerca de 3h.
Dificuldade: baixa.
Apoios: percurso sinalizado. Restauração em S. Jacinto e Torreira, havendo nesta, também, alojamento.

Antes de iniciar a caminhada deverá procurar informação sobre o trilho, na receção.
 

Breve descrição

O percurso pedestre inicia-se pela zona da mata, dominada pelo pinheiro-bravo Pinus pinaster, podendo observar-se diversas espécies de folhosas e espécies arbustivas.
 
Nesta mata de pinheiro-bravo Pinus pinaster podem, assim, encontrar-se pequenas manchas de folhosas e resinosas autóctones (i.e que existem naturalmente em Portugal). Assim, no estrato arbóreo das áreas florestadas, verifica-se a presença de pinheiro-bravo e, mais raramente, pinheiro-manso Pinus pinea. Nas áreas ocupadas por folhosas, o estrato arbóreo é composto por choupo-negro Populus nigra, Amieiro Alnus glutinosa, salgueiro-preto Salix atrocinerea e salgueiro-anão Salix arenaria. Estas espécies de folhosas surgem nas zonas mais baixas, em que se verifica acumulação frequente de água, samouco Myrica faya e medronheiro Arbutus unedo. O eucalipto-glóbulo Eucalyptus globulus é apenas residual no interior da Reserva e as várias espécies de acácias Acacia spp., que são espécies exóticas de características invasoras, encontram-se disseminadas por toda a Reserva.
 
A nível do estrato arbustivo, nota-se a presença da camarinheira Corema album, sendo de referir que esta surge, principalmente, nas zonas da mata mais próximas do sistema dunar, murta Myrtus communis, lentisco-bastardo Phillyrea angustifolia, tojo Ulex europaeus, sanganho-mouro Cistus salvifolius, sanganho Cistus psilosepalus, folhado Viburnum tinus, sabina-das-praias Juniperus turbinata, rosmaninho Lavandula stoechas, gilbardeira Ruscus aculeatus e giesteira-das-sebes Cytisus spp..
 
Em termos de fauna, presença sobretudo de numerosos passeriformes (ie. aves a que vulgarmente chamamos de "pássaros"), tais como os chapins, associados à zona inicial coberta de árvores.
 
Na zona dunar, propriamente dita, um passadiço sobrelevado conduz a e o visitante até à praia, permitindo apreciar a vegetação das areias litorais e a morfologia do terreno. 
 
Na pateira, evitando fazer barulho, observe as aves aquáticas que ali se refugiam e dê a si mesmo algum descanso, apreciando a beleza das aves. Aberto no início da década de 80, este grande charco na Reserva foi uma forma de recuperar uma zona atingida por um incêndio. Este charco, a pateira, veio a tornar-se de grande importância para os anatídeos invernantes. De facto, é das áreas do país com maior efetivo de espécies de anatídeos invernantes, tais como o pato-real Anas platyrhynchos [PDF 134 KB], a marrequinha Anas crecca [PDF 133 KB] e a piadeira Anas penelope. O pato-negro Melanitta nigra [PDF 134 KB] é também muito comum, não só aqui como também em toda a ria de Aveiro, apresentando no seu conjunto mais de 1% da população da Europa. Outros anatídeos podem ser aqui observados mais ocasionalmente, caso do pato-de-bico-vermelho Netta rufina [PDF 162 KB], o arrábio Anas acuta, o zarro-comum Aythya ferina [PDF 166 KB] e o zarro-castanho Aythya nyroca. Mas não só os anatídeos frequentam a pateira, também se pode, usualmente, observar a garça-branca Egretta garzetta [PDF 102 KB] e a garça-cinzenta Ardea cinerea [PDF 110 KB]. Mais ocasional é a ocorrência do colhereiro Platalea leucorodia [PDF 141 KB].
 

Pequeno mapa

Mapa trilho vermelho